Edital Brasil-Canadá: projetos aprovados

spcineedital0 Comments

Dois games, um projeto de realidade virtual e outro de realidade aumentada foram selecionados pelo Programa de Codesenvolvimento da Spcine em parceria com o Canada Media Fund, que está em sua segunda edição.

A empresa vai financiar a parte paulista do projeto, cabendo à instituição canadense a responsabilidade de pagar a outra fração. É regra fundamental do concurso apresentar um contrato com uma empresa parceira do Canadá, além do orçamento de desenvolvimento do projeto.

A divisão do valor total do programa – R$ 200 mil – está assim: R$ 50 mil para o jogo Prisoner: Carandiru, sobre como sobreviver em uma prisão; R$ 49,65 mil para o FlorestAR, projeto de realidade aumentada que convida o usuário a construir árvores sobre o concreto; R$ 50 mil para o vídeo em VR Margaret e Mina, que cruza imagens da expedição da artista Margaret Mee pela Floresta Amazônica e da canadense Mina Benson pela fria região do Labrador; e, por fim, outros R$ 50 mil para o jogo para console As Crianças do Mundo, baseado no filme indicado ao Oscar de Melhor Animação em 2016, O Menino e O Mundo.

Os projetos passaram pelo crivo de um júri formado por profissionais da área internacional da Spcine e do Canada Media Fund. Potencial do projeto nos mercados brasileiro e canadense, originalidade, criatividade e plano financeiro foram alguns dos critérios avaliados. Os projetos atingiram notas de 65 a 82. Confira aqui a tabela de pontuação.

No ano passado, o edital premiou três programas de TV,  um game e uma websérie de animação. A novidade para 2016 foi a inclusão de projetos audiovisuais em VR (virtual reality) e AR (augmented reality).

Seguem abaixo mais informações sobre os projetos selecionados.

Prisoner: Carandiru | Categoria: Game

Prisoner: Carandiru é um jogo sobre como sobreviver em uma prisão barra pesada. Trata-se de um simulador de vida de prisioneiro guiado por narrativas cheias de escolhas e muitos finais diferentes. O jogador pode interagir com a prisão e seus habitantes através da prática de exercícios físicos, jogos de futebol, partidas de xadrez ou como um integrante de gangue. De acordo com seu comportamento no cárcere, o personagem conquista uma vaga de emprego no local, tendo acesso a novos objetos, habilidades, áreas e conexões. O game é cadenciado, nos moldes de jogos adventure antigos, com artes 2D em tom sombrio e pesado.

FlorestAR | Categoria: Realidade Aumentada

FlorestAR convida os usuários a se organizarem em Exércitos de Guerreiros da Floresta, que lutam para o concreto alcançar o nível de densidade de uma floresta real. Como? Jogando bombas de semente virtuais. O projeto será desenvolvido simultaneamente em São Paulo e Montréal, dois lugares com desafios muito distintos no desenvolvimento de uma floresta urbana. No entanto, o objetivo é gerar um estilo de jogo onde as ações em uma cidade produz eco na outra, criando uma causa comum e alianças estratégicas entre os usuários do Brasil e Canadá.

Margaret e Mina | Categoria: Realidade Virtual

Acima de tudo, esta experiência em Realidade Virtual é sobre o amor pela natureza, tal como vivenciaram estas duas mulheres aventureiras que ousaram explorar territórios hostis e ainda pouco cartografados. No Brasil, em 1956, a artista Margaret Mee fez sua primeira expedição na floresta Amazônica para a criação de ilustrações botânicas de valor artístico e científico. No Canadá, em 1905, Mina Benson Hubbard embarcou em uma viagem de canoa nas terras desconhecidas do Labrador canadense para concluir a expedição que levou seu marido à morte. Ela cartografou a imensa região dos rios Naskaupee e George. O público poderá vivenciar momentos marcantes de suas expedições e viajar entre estes dois países. Para tanto, serão combinadas imagens 360˚ estereoscópicas e imagens de síntese abstratas que inspiram reflexão e introspecção, assim como uma instalação multimídia. A experiência em realidade virtual será enriquecida por um áudio posicional sofisticado.

As crianças do mundo | Categoria: Game

Baseado em “O Menino e o Mundo”, o game propõe ao jogador escolher e personalizar o avatar de uma pequena criança que evolui, aprende e conhece coisas e pessoas novas. Ora valendo de mecânicas pointandclick, ora em modo de exploração. O jogador pode interagir e “resgatar” a criança aprisionada dentro de personagens chaves espalhados pela trama.

 

Compartilhe

Deixe uma resposta